Austrália eletrizante

Gabriel Medina e John John Florence dão show nas ondas pesadas e se enfrentam nas quartas do Rip Curl Pro Bells Beach; Filipe Toledo e Italo Ferreira também seguem adiante.

0
Gabriel Medina joga duro de backside e garante vaga nas quartas do Rip Curl Pro Bells Beach.

Em ondas volumosas que ultrapassavam os 3 metros nas séries, com forte vento maral / lateral, foram disputadas as quartas de final da categoria feminina e mais duas fases masculinas do Rip Curl Pro Bells Beach.

Clique aqui para ver as fotos

As condições estavam desafiadoras e três brasileiros sobreviveram às duras batalhas no Bowl de Bells Beach – Filipe Toledo, Gabriel Medina e Italo Ferreira.

Donos das melhores performances do dia, os bicampeões mundiais Gabriel Medina e John John Florence levaram o público ao delírio e vão se enfrentar em um confronto que promete pegar fogo nas quartas de final do Rip Curl Pro Bells Beach.

John John Florence faz as maiores pontuações do dia e encara Medina na próxima.

Depois das quartas de final da categoria feminina, os homens foram para a água e as condições ganharam ainda mais força em Bells. Logo na primeira bateria, Medina agrediu o lip sem piedade para arrancar 6.93 e 9.10 dos juízes na tranquila vitória diante do australiano Reef Heazlewood, que disputava a etapa como substituto de Sebastian Zietz.

O recorde de maior nota do evento durou poucas baterias. Também com uma atuação impecável, John John Florence não deu chance ao brasileiro Jadson André e obteve 8.17 e 9.50, estabelecendo os novos recordes do Rip Curl Pro Bells Beach.

Atual líder do ranking mundial e defensor do título da prova, Italo Ferreira teve muito trabalho nas duras condições do mar, mas esbanjou disposição ao atacar o lip e derrotou o australiano Jack Freestone com notas 6.93 e 6.83, contra 6.10 e 3.00 do adversário.

Ainda pelo round 3, Willian Cardoso bateu o compatriota Yago Dora por 12.20 a 9.63.

Filipe Toledo também garante vaga nas quartas.

Na sequência, a WSL promoveu os confrontos das oitavas de final. Logo na primeira bateria, o 11 vezes campeão mundial Kelly Slater procurou não ficar muito tempo parado no outside e levou a melhor diante de Peterson Crisanto com 6.00 e 4.80 nas duas melhores ondas, contra 3.10 e 3.77 de Petersinho.

“Hoje está selvagem e espumado lá fora e há algumas ondas enormes chegando”, falou Slater. “Eu fui esmagado por algumas e acho que se eu visse ondas tão grandes no Havaí, ficaria com muito medo”, continua. “Eu ainda não sinto que tive algum bom momento realmente. Eu meio que acabei de passar por essa bateria. Mudei as pranchas no meio e não consegui acertar nada, então tenho sorte em avançar e estou feliz em chegar às quartas de final. Eu tenho muitas boas lembranças aqui em Bells. É difícil escolher a melhor. Obviamente, ganhar meu primeiro evento está lá em cima, mas tem a final com Mick Fanning. Mesmo que ele tenha vencido, foi uma grande bateria, e foi o dia em que o MP (Michael Peterson) faleceu – é definitivamente um lugar especial”.

Na terceira batalha, Filipe Toledo mandou bem e obteve 7.17 e 6.93 na vitória contra o havaiano Seth Moniz, autor de 5.00 e 2.13.

O quarto confronto marcou a eliminação de Deivid Silva. Com uma virada na última onda, o australiano Jacob Wilcox – vencedor da triagem – descolou 5.80 e estragou a festa do brasileiro ao totalizar 11.80 pontos, contra 10.04 de “DVD”.

Willian Cardoso perde para Medina e fica em nono lugar.

Em duelo 100% brasileiro, o bicampeão mundial Gabriel Medina ditou o ritmo na água e passou com folga por Willian Cardoso.

Medina disparou na liderança ao registrar 9.00 e 7.00, ampliando ainda mais vantagem com 8.27, chegando à marca de 17.27 pontos em 20 possíveis.

Mesmo com larga vantagem, o brasileiro procurou não ficar muito tempo parado no outside surfou um total de 12 ondas, contra apenas cinco do adversário, que saiu da água com 3.83 e 3.93 em suas duas melhores apresentações.

“Eu trabalhei duro e tomei algumas séries na cabeça, então estou muito cansado agora”, disse Medina. “Tem um bom tamanho e é difícil se segurar com tanta água em movimento. É o que acontece quando está assim, às vezes você quebra a prancha ou a cordinha, mas eu adoro surfar desse jeito. Seria um sonho se tornar realidade ganhar o sino. Eu cresci vendo meus ídolos ganhando este evento e isso significaria muito para mim e para o Brasil”, completou o bicampeão mundial.

Italo Ferreira está nas quartas em Bells Beach.

O bicho pegou na bateria seguinte, com John John Florence e Owen Wright travando uma batalha espetacular.

Melhor para Florence, autor 9.63 e 8.53, contra 8.17 e 8.80 de Wright.

“Está muito grande lá fora agora e é muito assustador”, disse Florence. “Há bastante água se movendo e você finaliza a onda muito perto das pedras em Winki. Bells é semelhante ao Havaí para mim. Esta onda tem muito poder e é ventosa. No Havaí, nós ajustamos todas as nossas pranchas para isso. Essas ondas são divertidas para mim porque você vai muito rápido. Você não precisa gerar nenhuma velocidade. Você pode realmente definir a sua manobra de borda se você conseguir uma onda com face limpa. Em ondas como essa, todo mundo tem que mudar todo o seu plano de jogo. É uma mentalidade diferente. Estou super feliz por competir com o Gabe (Medina) na minha próxima bateria. Ele está quebrando e fazendo algumas pontuações enormes. Tomara que as ondas ainda estejam bombando”.

O último brasileiro a entrar em ação foi Italo Ferreira. Em uma disputa com poucas ondas surfadas, Italo descolou 5.93 e 6.27, contra 3.43 e 2.60 do francês Jeremy Flores.

As ondas devem seguir com forte pressão na manhã do último dia da janela de espera (27/4), perdendo força lentamente no decorrer do dia. Os ventos devem variar de terral a lateral, ainda com bastante força, apesar de perder intensidade.

A próxima chamada acontece às 17:40h (horário de Brasília) desta sexta-feira.

Kelly Slater passa por Peterson Crisanto e também está no páreo.

Resultados do dia

Round 3 (baterias pendentes)

9 Gabriel Medina (BRA) 16.03 x 7.80 Reef Heazlewood (AUS)
10 Willian Cardoso (BRA) 12.20 x 9.63 Yago Dora (BRA)
11 Owen Wright (AUS) 16.10 x 12.07 Ricardo Christie (NZL)
12 John John Florence (HAV) 17.67 x 11.24 Jadson André (BRA)
13 Italo Ferreira (BRA) 13.76 x 9.10 Jack Freestone (AUS)
14 Jeremy Flores (FRA) 14.03 x 13.44 Ezekiel Lau (HAV)
15 Kanoa Igarashi (JAP) 12.07 x 11.93 Adrian Buchan (AUS)
16 Jordy Smith (AFR) 14.10 x 13.27 Leonardo Fioravanti (ITA)

Oitavas de final

1 Kelly Slater (EUA) 10.80 x 6.87 Peterson Crisanto (BRA)
2 Ryan Callinan (AUS) 13.93 x 9.93 Conner Coffin (EUA)
3 Filipe Toledo (BRA) 14.10 x 7.13 Seth Moniz (HAV)
4 Jacob Wilcox (AUS) 11.80 x 10.04 Deivid Silva (BRA)
5 Gabriel Medina (BRA) 17.27 x 7.76 Willian Cardoso (BRA)
6 John John Florence (HAV) 18.16 x 16.97 Owen Wright (AUS)
7 Italo Ferreira (BRA) 12.20 x 6.03 Jeremy Flores (FRA)
8 Jordy Smith (AFR) 13.10 x 11.03 Kanoa Igarashi (JAP)

Quartas de final

1 Kelly Slater (EUA) x Ryan Callinan (AUS)
2 Filipe Toledo (BRA) x Jacob Wilcox (AUS)
3 Gabriel Medina (BRA) x John John Florence (HAV)
4 Italo Ferreira (BRA) x Jordy Smith (AFR)

Quartas de final da categoria feminina

1 Lakey Peterson (EUA) 8.67 x 8.16 Coco Ho (HAV)
2 Courtney Conlogue (EUA) 14.17 x 9.37 Carissa Moore (HAV)
3 Malia Manuel (HAV) 10.77 x 8.70 Stephanie Gilmore (AUS)
4 Caroline Marks (EUA) 11.83 x 5.97 Brisa Hennessy (CRI)

Semifinais

1 Lakey Peterson (EUA) x Courtney Conlogue (EUA)
2 Malia Manuel (HAV) x Caroline Marks (EUA)