WSL confirma mudança no Tour

WSL confirma mudança no formato de baterias em 2019; informação foi adiantada pelo Waves em novembro do ano passado.

0
Gabriel Medina defende o título mundial da WSL.

Conforme o Waves adiantou em novembro do ano passado, na reportagem intitulada Mudanças à vista, o formato das baterias nas etapas do Championship Tour terá novidades em 2019.

O número total de baterias será o mesmo (47), mas o intuito da Liga é deixar as disputas mais dinâmicas.

Na primeira fase, os dois melhores atletas de cada bateria avançarão direto ao round 3, enquanto os terceiros colocados irão para a repescagem.

A repescagem terá apenas quatro baterias, em vez de 12. Cada confronto terá três atletas e os dois melhores seguirão adiante, enquanto apenas o último dará adeus ao evento.

O round 3 terá um total de 16 baterias, todas no formato homem a homem. Em seguida, os atletas disputam as oitavas, as quartas, as semis e a final, todas também no formato homem a homem.

Outra informação divulgada pelo Waves em novembro foi de que, na terceira fase, os atletas que estrearem com vitória no evento serão premiados e entrarão como cabeças de chave. A regra só mudará depois da sexta etapa do ano, quando os quatro primeiros do ranking mundial serão considerados os principais cabeças de chave do round 3 – uma forma de evitar que os principais candidatos ao título mundial se enfrentem antes das semifinais nas etapas.

WSL / Poullenot
Em 2019, todas as etapas terão a opção de acionar o formato de disputas simultâneas nos confrontos homem-a-homem.

Mais novidades

No comunicado enviado nesta sexta-feira, a WSL informou também que todas as etapas terão a opção de utilizar o formato de disputas simultâneas nos confrontos homem-a-homem, que acelera bastante o cronograma do evento e aproveita melhor os dias com melhores ondas.

Jogos Olímpicos

O Tour de 2019 é o topo da hierarquia no sistema de qualificação olímpica para os melhores surfistas do mundo. O ranking mundial no fim da temporada de 2019 determinará 18 dos 40 lugares nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 (10 homens e 8 mulheres).

Os 22 lugares restantes serão determinados nos Jogos Mundiais de Surf de 2019 e 2020 da ISA, nos Jogos Pan-Americanos de 2019 em Lima e em um único lugar (cada um para homens e mulheres) para o país anfitrião, Japão (se ainda não tiverem se qualificado pelos caminhos mencionados).

Os 18 lugares garantidos no CT vêm com a condição de que um país não possa qualificar mais de dois atletas por gênero. Isso significa que, se a Austrália qualificar três atletas, apenas dois poderão ir aos Jogos e o outro lugar será destinado ao próximo melhor classificado de outra nacionalidade.

Depois dos eventos finais do CT da temporada (Hawaiian Pro e Billabong Pipe Masters), o ranking mundial determinará os primeiros 18 qualificados para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, sujeitos a todos os surfistas qualificados que atenderem aos requisitos de elegibilidade da ISA e do COI e selecionados por seus respectivos Comitês Olímpicos Nacionais.

Mulheres passam a contar com a mesma premiação oferecida aos homens.

Premiações iguais

Em setembro do ano passado, a WSL anunciou um prêmio igual em todos os seus eventos, tornando-se a primeira liga esportiva global dos Estados Unidos a fazer isso. A iniciativa era uma meta a longo prazo da organização e ganhou vida depois que a nova empresa assumiu a Liga em 2013. O prêmio igual em dinheiro foi instituído para o Desafio Jaws de 2018/2019, que ocorreu em novembro de 2018, e para a primeira etapa da Longboard Tour, o Noosa Longboard Open, que aconteceu no início deste mês.

Agora, o Boost Mobile Pro será o primeiro evento do CT a oferecer o prêmio equivalente em dinheiro. Haverá prêmios em dinheiro iguais para cada etapa do CT feminino nesta temporada e nas demais. A abertura do CT em abril também lançará um programa global de compromisso para meninas, Rising Tides – Programa de Meninas da WSL, que oferecerá clínicas em cada etapa do CT feminino, em um esforço para inspirar a próxima geração a surfar.

O ano de 2019 também verá a continuação do programa Pioneers, que celebra as lendas femininas, bem como o lançamento de uma campanha de marketing internacional para destacar o Tour feminino e aumentar a audiência do evento e o engajamento dos fãs, bem como uma série de outras ativações que serão anunciadas nos próximos meses.