Wiggolly é campeão

Wiggolly Dantas vence o Volcom Pipe Pro em final com três brasileiros e um havaiano em Pipeline, Havaí.

0
Wiggolly Dantas, João Chianca, Yago Dora e Seth Moniz no pódio do Volcom Pipe Pro.

O brasileiro Wiggolly Dantas acaba de vencer o QS 5.000 Volcom Pipe Pro. Finalista da prova pela segunda vez na carreira, o ubatubense usou a força do seu backside para ficar com o troféu de campeão, deixando João Chianca com o vice, Yago Dora em terceiro e o havaiano Seth Moniz na quarta posição.

Clique aqui para ver as fotos

Clique aqui para ver o vídeo

“Eu estou muito feliz, pois há muitos anos o meu objetivo era vencer um evento aqui em Pipeline”, disse Wiggolly Dantas. “Estou me sentindo um pouco cansado, mas muito feliz pela vitória. Essa onda é muito especial para mim e é um prazer estar aqui, competindo, surfando bons tubos, fazendo grandes manobras também e ser campeão aqui era um sonho. Eu queria muito vencer aqui nesse lugar incrível e estou muito feliz por começar o ano assim”.

Wiggolly Dantas vence o Volcom Pipe Pro.

O último dia do Volcom Pipe Pro não foi igual aos três anteriores, quando altas ondas quebraram na bancada de Pipeline. Neste sábado, o pico do North Shore havaiano teve ondas irregulares, mas ainda com um bom tamanho – mais de 2 metros nas séries -, e o goofy Wiggolly soube escolher as melhores e atacar principalmente as direitas para ser o campeão.

Foi assim que ele passou pela quinta fase e pelas quartas de finais. Na semi e na final, o atleta começou espancando a direita do Backdoor com três fortes manobras que valeram 8.00 nas duas ocasiões, o que o deixou mais tranquilo para os restos das disputas.

O vice-campeão, João Chianca, também fez excelentes apresentações para o Backdoor, com drops atrasados em ondas quadradas. Foi assim que ele conquistou a nota excelente 8.17 na segunda semifinal. O outro brasileiro na final, Yago Dora, que terminou em terceiro, procurou mais as esquerdas de Pipeline durante o dia e voou várias vezes, mas não conseguiu nenhuma nota de destaque.

“Cara, é inacreditável! Eu realmente sinto uma coisa incrível nesse lugar, não só em Pipe, mas em todo o Havaí. É um lugar onde me sinto bem comigo mesmo, com a comida, com todo mundo. Estou muito feliz, trabalhei muito nessa pré-temporada, dei muito duro de mim. Eu queria muito, e quero muito começar o ano bem, é uma coisa muito importante na minha cabeça, que vai ajudar muito na minha autoconfiança. Acredito que quanto mais ela crescer, mais perigoso eu posso ficar. Estou muito feliz com o segundo lugar. Pipeline é incrível!”, disse João para o Waves.

Yago Dora e João Chianca fazem a festa no pódio.

Wiggolly, que foi vice desse evento em 2014, começa a temporada com 5.000 pontos no ranking e com mais US$ 15 mil no bolso. O vice, João, garante 4.000 pontos e US$ 7,5 mil, Yago (3º) 3.250 e US$ 4 mil e o havaiano Seth Moniz (4º) 3.000 e US$ 3,7 mil.

Neste sábado, o Brasil ainda teve a participação de Jerônimo Vargas, que parou na quinta fase ao terminar em terceiro lugar na bateria de número 3.

View this post on Instagram

THANKS PIPELINE ❤️🙏🏽🔥👊🏽 Vamos lá Estava aqui tentado escrever algo pois o que senti ontem talvez seja indescritível. A minha história com Pipe começou lá atras quando eu ainda era um garoto com 13 anos de idade primeira vez que cheguei aqui, sempre foi bem acolhido pelos locais e pelos brasileiros que sempre aqui estiveram, não posso esquecer do meu pai, padrinho e conselheiro Uncle @eddierothman que a muitos anos me coloca em sua casa me dando todo suporte na temporada havaiana. Mas o que quero falar e que está linda história foi escrita a cada ano, Pipe é um dos lugares que mais surfo na temporada do Hawaii cada queda um aprendizado, um tubo diferente do outro uma sensação maravilhosa, toda vez que estou aqui tenho a certeza de amar este esporte chamado SURF, PIPE eu tinha a certeza que vc um dia ia me presentear pois Deus já tinha me falado a anos atras que no momento certo isto aconteceria, foi difícil acreditar e me manter firme não vou mentir, mas sempre tive pessoas que acreditam em mim é isto foi o que me motivou a estar aqui hoje escrevendo para vcs. A vida de atleta é uma incógnita as vezes estamos lá em cima na outra lá em baixo e neste momento da queda que vemos quem ficará ao nosso lado e estes estarão para o resto da minha vida. E ontem concretizei uma parte da minhas história neste lugar e no mundo do surf sendo o primeiro brasileiro a ganhar o Volcon PIPE PRO Meu Deus so agradeço pois sem vc eu não estaria aqui. Obrigado a todos que de alguma forma torceram vibraram e me apoiaram até aqui Deus é maravilhoso. Família, namorada, amigos, patrocinadores esta vitória tb é de vcs. Dedicação e foco vai me levar a lugar que muitos acham que eu não chegaria mais Playyy 2020 @zaknoyle @minikalzone @construtoranossolar @amuchocolatesaudavel @tpattersonsurfboards @scottmetz @futuresfins @dantassurfstore @picodatribo @dahuiofficial @eddierothman @natalieplachi

A post shared by Wiggolly Dantas (@wiggolly) on

Resultados do último dia do Volcom Pipe Pro

Campeão: Wiggolly Dantas (BRA) por 10,03 pontos (8,00+2,03) – US$ 15.000 e 5.000 pts

Vice-campeão: João Chianca (BRA) com 7,83 pts (4,00+3,83) – US$ 7.500 e 4.000 pts

Terceiro lugar: Yago Dora (BRA) com 6,30 pts (3,33+2,97) – US$ 4.000 e 3.250 pts

Quarto lugar: Seth Moniz (HAV) com 5,17 pts (2,67+2,50) – US$ 3.700 e 3.000 pts

Semifinais
3.o=5.o lugar ($ 2.600 e 2.500 pts) e 4.o=7.o lugar ($ 2.400 e 2.225 pts)

1 1-Wiggolly Dantas (BRA), 2-Yago Dora (BRA), 3-Leandro Usuna (ARG), 4-Matthew McGillivray (AFR)
2 1-João Chianca (BRA), 2-Seth Moniz (HAV), 3-Joshua Moniz (HAV), 4-Cam Richards (EUA)

Quartas de final
3.o=9.o lugar ($ 1.600 e 1.750 pts) e 4.o=13.o lugar ($ 1.400 e 1.475 pts)

1 1-Leandro Usuna (ARG), 2-Yago Dora (BRA), 3-Finn McGill (HAV), 4-Cristobal de Col (PER)
2 1-Matthew McGillivray (AFR), 2-Wiggolly Dantas (BRA), 3-Evan Geiselman (EUA), 4-Eli Hanneman (HAV)
3 1-Seth Moniz (HAV), 2-João Chianca (BRA), 3-Aritz Aranburu (ESP), 4-Nolan Rapoza (EUA)
4 1-Joshua Moniz (HAV), 2-Cam Richards (EUA), 3-Imaikalani Devault (HAV), 4-John Mel (EUA)

Oitavas de final
3.o=17.o lugar ($ 1.275 e 1.000 pts) e 4.o=25.o lugar ($ 1.000 e 375 pts)

1 1-Yago Dora (BRA), 2-Eli Hanneman (HAV), 3-Callum Robson (AUS), 4-Marco Giorgi (URU)
2 1-Finn McGill (HAV), 2-Matthew McGillivray (AFR), 3-Soli Bailey (AUS), 4-Cody Young (HAV)
3 1-Wiggolly Dantas (BRA), 2-Leandro Usuna (ARG), 3-Jeronimo Vargas (BRA), 4-Noa Deane (AUS)
4 1-Evan Geiselman (EUA), 2-Cristobal de Col (PER), 3-Elliot Paerata-Reid (NZL), 4-Tanner Hendrickson (HAV)
5 1-Seth Moniz (HAV), 2-John Mel (EUA), 3-Reef Heazlewood (AUS), 4-Anthony Walsh (HAV)
6 1-Nolan Rapoza (EUA), 2-Joshua Moniz (HAV), 3-Noah Beschen (HAV), 4-Billy Kemper (HAV)
7 1-Cam Richards (EUA), 2-João Chianca (BRA), 3-Jack Robinson (AUS), 4-Joh Azuchi (JPN)
8 1-Imaikalani Devault (HAV), 2-Aritz Aranburu (ESP), 3-Conner Coffin (EUA), 4-Sheldon Paishon (HAV)

G-10 do WSL Qualifying Series 2020- Ranking extra oficial após 6 etapas

01: Shun Murakami (JPN) – 5.330 pontos
02: Nat Young (EUA) – 5.000
02: Wiggolly Dantas (BRA) – 5.000
04: Keanu Asing (HAV) – 4.300
05: Lucca Mesinas (PER) – 4.250
06: Alonso Correa (PER) – 4.000
06: João Chianca (BRA) – 4.000
08: Patrick Gudauskas (EUA) – 3.625
09: Rio Waida (IDN) – 3.550
10: Joshua Moniz (HAV) – 3.500

Brasileiros até 100

11: Yago Dora (BRA) – 3.250 pontos
36: Willian Cardoso (BRA) – 1.750
36: Thiago Camarão (BRA) – 1.750
36: Victor Bernardo (BRA) – 1.750
36: Rafael Teixeira (BRA) – 1.750
59: Bino Lopes (BRA) – 1.000
59: Jeronimo Vargas (BRA) – 1.000