Retrospectiva tubular

Confira uma retrospectiva com todas as edições já realizadas do Capítulo Perfeito em Portugal.

0
Praia do Norte / Vitor Estrelinha
Capítulo Perfeito é realizado o melhor dia de ondas do inverno português.

Com janela de espera até 31 de janeiro, o Capítulo Perfeito é um evento dedicado exclusivamente aos tubos, a manobra mais clássica do surfe.

O campeonato acontece no melhor dia do inverno de Portugal e também é interativo: os participantes foram escolhidos pelos fãs po meio de votação online.

A temporada 2019-20 marca a sétima vez que o evento é realizado. Confira abaixo uma retrospectiva de todas as edições anteriores do evento.

2012:

Três anos depois da primeira edição do CT em Peniche, o surfe em Portugal já tinha virado fenômeno. O ano de 2012 foi a primeira edição do Capítulo Perfeito. Até então Portugal tinha apenas campeonatos de surfe “tradicionais”: etapas do CT, QS, e o circuito nacional. Peniche era a arena principal do surfe, recebendo esse ano o Capítulo Perfeito, para além do CT.

Na primeira edição, Tiago Pires, primeiro surfista português no CT, foi o vencedor. Só com portugueses em prova, Tiago ganhou na final contra Ivo Cação, local de Figueira da Foz.  Foi a única vez que a final aconteceu no formato “homem a homem”. Tiago fez 16.75 pontos contra os 11.75 de Ivo. Destaque ainda para Vasco Ribeiro, que nas quartas de final fez um total de 18.00 pontos, a melhor de todo o campeonato.

2013:

Mais uma edição do Capítulo Perfeito realizada na Praia de Supertubos, em Peniche. Marcou a primeira vitória de Nic Von Rupp, que viria a ganhar mais edições do campeonato. O campeonato passou também a ser disputado em baterias de quatro surfistas, com uma rodada de repescagem depois da fase inicial.

Na final, os 13.00 pontos de Nic Von Rupp foram suficientes para deixar em segundo lugar Marlon Lipke, ex-competidor do CT. Em terceiro lugar ficou Francisco Alves. Ivo Cação, vice-campeão da edição anterior, não encontrou as melhores ondas na bateria e ficou em quarto lugar.

2014:

O ano de 2014 foi a estreia do Capítulo Perfeito na Praia de Carcavelos. A praia dos arredores de Lisboa é considerada o berço do surfe em Portugal, acolheu algumas das primeiras competições, e é a praia local de muitos Tops do surfe português. A onda é parecida com Supertubos: beach break tubular e pesado.

No dia do Capítulo Perfeito, tubos pesados de 2 metros quebravam, acompanhados pelo vento norte, terral naquela praia. Nic Von Rupp, que viria a ganhar o campeonato, arrancou forte com uma pontuação de 16.50 logo na primeira rodada. Destaque também para Filipe Jervis, que fez um total de 17.00 pontos na terceira ronda.

Na final, Nic ganhou por 0.25 de Ruben Gonzalez, várias vezes campeão nacional em Portugal. Von Rupp fez 10.50 contra os 10.25 de Ruben. Marlon Lipke repetiu a presença na final, ele que partiu na véspera da Austrália e viajou 30 horas para estar no Capítulo Perfeito. Em último lugar ficou António Silva.

2015:

O ano de 2015 marcou a abertura do Capítulo Perfeito a surfistas estrangeiros. O objetivo foi aumentar o nível da prova, trazer os melhores tube riders do mundo a Portugal, e mostrar ao mundo a qualidade e perfeição das ondas portuguesas. Três surfistas integraram o elenco do campeonato: os brasileiros Ricardo dos Santos e Pedro Scooby, e o norte-americano, ex-WCT, Cory Lopez, todos eles reconhecidos pela sua capacidade em ondas pesadas.

Antes do começo do campeonato, uma tragédia assolou o mundo do surfe: Ricardo dos Santos, um dos mais respeitados tube riders brasileiros, foi assassinado na manhã de 20 de janeiro de 2015. Foi um dos momentos mais marcantes do surfe brasileiro, sendo o atleta alvo de homenagens em todo o mundo.

Ricardo, que tinha sido escolhido pelos fãs para participar no Capítulo Perfeito, foi substituído por Bruno Santos, primeiro suplente dos surfistas internacionais.
Scooby e Cory Lopez perderam na terceira rodada, ficando ambos em 9º lugar. Nessa fase, destaque para os 17.00 pontos de Nic Von Rupp. Nas semifinais, Ruben Gonzalez fez 16.25 pontos, chegando novamente à final do Capítulo Perfeito.

Na final, Bruno Santos não deu chance aos seus adversários, fazendo 18.65 pontos. Bruno dedicou a vitória a Ricardo, num momento muito de muita emoção. Deixou Nic Von Rupp em segundo com 13.25. Tiago Pires e Ruben Gonzalez ficaram em terceiro e quarto lugar, respectivamente.

A edição de 2015 deu origem ao documentário “O Capítulo de Todos os Santos”, em homenagem a Ricardo dos Santos. Depois de rodar o mundo em vários festivais de cinema, o documentário foi colocado online no final de 2019.

2016:

Nova localização para o Capítulo Perfeito. Do beach break urbano de Carcavelos, o campeonato passou para a Praia do Norte, em Nazaré, num meio bem mais rural. A Praia do Norte tinha aparecido na cena mundial do surfe uns anos atrás, mas pelas ondas XXL que rebentavam ali. O Capítulo Perfeito revelou outro lado da Nazaré: ondas perfeitas e tubulares, de tamanho “normal”.

O ano de 2016 marcou também o alargamento da categoria internacional, com oito surfistas estrangeiros presentes, incluindo os brasileiros Felipe Cesarano, Bruno Santos e Pedro Scooby.

O evento realizou-se em novembro, umas das melhores épocas de surfe em Portugal: já existem ondulações sólidas, e as temperaturas ainda se parecem com o verão. Na Praia do Norte, tubos com mais de 2 metros acolheram a plateia de tube riders.

O basco Aritz Aranburu começou cedo a mostrar que estava em sintonia com as ondas de Nazaré: logo na terceira fase fez 19.50 pontos em 20 possíveis, melhor pontuação do campeonato. Felipe Cesarano e Bruno Santos não passaram dessa mesma rodada, ficando em 9º lugar. Pedro Scooby acabou a prova em quinto, perdendo na semifinal para Aritz Aranburu e o porto-riquenho Dylan Graves.

Na final, Aritz confirmou o seu domínio, vencendo com 16.75, pouco à frente de Balaram Stack, que fez 16.50. Em terceiro e quarto ficaram Dylan Graves e Gabe Kling.

2017-18:

A primeira vez que o Capítulo Perfeito teve um período de espera prolongado, abrangendo o inverno do Hemisfério Norte. O campeonato teve novamente lugar em Nazaré, nos picos triangulares da Praia do Norte.

Bruno Santos e Pedro Scooby repetiram presença, com Bruno ficando em 13º e Scooby em 9º. Em 2018 foram acompanhados do estreante Lucas Chumbo, que semanas antes tinha ganho o Nazaré Challenge, etapa do Big Wave Tour.

Apesar de um pouco menores do que na edição anterior, as ondas continuaram perfeitas na Praia do Norte. Só na final não houve os tubos característicos da Praia do Norte, com William Aliotti vencendo com 8.40 pontos, deixando Cory Lopez em segundo lugar. Lucas Chumbo fechou o pódio, com Balaram Stack repetindo a presença na final, e terminando em quarto.